top of page
  • Foto do escritorBaloc Locadora

A Importância da Manutenção Preventiva em Empilhadeiras

Atualizado: 28 de set. de 2020

A empilhadeira é muito utilizada para aumentar a produtividade e otimizar o tempo no centro logístico, a utilização da aparelhagem é muito benéfica.


manutencao preventiva empilhadeiras

Para evitar que ocorra um imprevisto e que a produção tenha uma parada inesperada é importante realizar a manutenção preventiva.

A manutenção preventiva evita que a empilhadeira tenha vários defeitos e problemas, por este motivo deve ser levado à sério.

Quando não é realizado a manutenção preventiva, a empilhadeira tem uma diminuição no desempenho e um aumento no consumo.

O período para fazer a manutenção preventiva na empilhadeira pode variar de máquina para máquina.

Normalmente para a conservação do equipamento deve ser realizado a manutenção preventiva a cada 500 horas.

São os mais variados tipos de empilhadeiras, e para cada modelo deve se atentar a alguns objetos. Conheça os 10 tipos mais comuns de empilhadeiras.


Quando fazer a manutenção preventiva

Como mencionado anteriormente, é recomendado fazer a manutenção preventiva a cada 500 horas. No entanto, o intervalo de tempo pode variar de equipamento para equipamento. Desta forma, é obrigatório certificar-se no manual do equipamento qual o período para manutenção. Empilhadeiras a gás, elétricas e diesel possuem características distintas e exigem cada qual um cuidado particular.

Alguns elementos devem ser observados na manutenção preventiva, por exemplo, na empilhadeira à combustão deve se atentar a troca de óleo e o filtro, devido a lubrificação do equipamento, sendo muito importante para manter a durabilidade das peças, providenciando um bom funcionamento e consumo.

Já na empilhadeira elétrica deve verificar a limpeza e a lubrificação dos componentes elétricos.

É muito importante detectar defeitos que ainda não são visíveis, sendo relevante para a segurança do empilhadeirista e do ambiente, evitando tombamentos e acidentes nas operações.

Além dos itens já mencionados, a manutenção pode trazer mais benefícios como:

  • Prolongamento da vida útil do equipamento e das peças;

  • Redução no consumo;

  • Maior disponibilidade da empilhadeira;

  • Identificação de possíveis falhas ainda não aparentes.

Além de se atentar as peças, deve sempre garantir que a empilhadeira tenha lubrificação, sendo este um item indispensável para a preservação do equipamento.

A função do lubrificante na empilhadeira

O lubrificante é um item muito importante na empilhadeira. Assim como outros maquinários, a lubrificação é responsável pela vida útil das peças e no desempenho e economia da máquina.

Foi comprovado através de estudos que os técnicos e operadores que zelam pela lubrificação do aparelho, possui um menor custo com manutenção, reduzindo até 35%.

Além disso, foi atestado que os cuidados com a lubrificação garante uma vida útil 10 vezes maior.

Como já mencionado no texto Como funciona uma empilhadeira, o funcionamento do motor acontece por movimento.

O movimento que as peças fazem para estimular o motor gera um atrito e o cisalhamento dos objetos, para impedir que isso ocorra, o lubrificante forma uma película que impede o contato direto entre as superfícies, consequentemente reduzindo o atrito e a deteriorização das peças.

Além disso, o lubrificante evita que tenha um resfriamento das peças, evitando que ocorra um superaquecimento no equipamento.

Outra vantagem da lubrificação é segurar a vedação dos sistemas, impedindo a introdução de gases no motor e de resíduos. Além disso, é responsável por propagar a força nos sistemas hidráulicos.


A lubrificação na empilhadeira também garante a vedação dos sistemas, pois, ele impede a entrada de detritos ou de gases no motor.

Com o avanço tecnológico, atualmente existe o óleo sintético e semissintético. Essas substâncias possuem em seus componentes aditivos que melhoram a performance do lubrificante, garantindo um melhor desempenho da empilhadeira, ao contrário do antigo óleo mineral.

Os principais aditivos mais relevantes são: dispersante, detergente, antioxidantes, modificadores de atrito e abaixadores do ponto de fluidez.

Tipos de lubrificantes para empilhadeira

A empilhadeira não tem a necessidade de utilizar um lubrificante exclusivo, deste modo, pode usar os óleos para os veículos automotivos.

O óleo para o veículo automotivo atende todos os requisitos de lubrificação da empilhadeira, por este motivo, pode utilizar o óleo mineral, sintético e semissintético.

Óleo mineral

O óleo mineral tem uma pequena combinação de aditivos, sendo obtido por meio do petróleo. Este tipo é o mais comum e o mais barato, mas somente deve ser utilizado nos motores mais antigos.

Como possui uma menor durabilidade, a sua troca deve ser feita com uma maior frequência.

Este óleo não é recomendado para empilhadeiras que tem pouco desempenho e capacidade de proteção.

Óleo Sintético

O óleo sintético é confeccionado e obtido através de reações químicas. Como são desenvolvidos em laboratórios, possuem um uso específico e controlado, sendo projetado para uma aplicação especial.

Óleo Semissintético

O óleo semissintético é o mais recomendado para empilhadeiras. A sua confecção é elaborada com todas as qualidades do mineral e a do sintético.

Este óleo possui uma ótima qualidade e custo benefício, sendo mais acessível que o sintético.


Classificação

Imagine a seguinte situação: você vai comprar um lubrificante para a sua empilhadeira e se depara com a sigla (Lubrificante API-SJ SAE 20W50). Bastante confuso, não é mesmo? Com o propósito de facilitar, a Baloc irá te ajudar a entender as classificações dos lubrificantes.

API SJ: API - É a sigla que simboliza o “nível de desempenho do lubrificante”, a letra “S” se refere ao motor à combustão movido a gasolina, se fosse um motor a diesel, seria API C, já o lubrificante para engrenagens é representado por API GL.

A letra “ J” indica a evolução do óleo, e quanto maior for a letra, maior será o estágio de evolução do lubrificante, por este motivo, os carros com tecnologia mais moderna só podem utilizar os óleos SJ ou SM. Já os mais antigos, as letras menores são mais indicadas.

SAE 20W50 - Já esta sigla representa a indicação da viscosidade do óleo. SAE é uma abreviação em inglês de “ Sociedade de Engenheiros Automotivos”. O número em seguida vai indicar a viscosidade em baixas temperaturas, ou seja, quanto mais baixo for o número, mais apropriado para ambientes mais frios.

O segundo número, depois da letra “W”, indica a viscosidade do óleo em alta temperatura durante as operações da empilhadeira, no exemplo mencionado, é representado pelo número 50.

Atualmente, as identificações nas embalagens são mais simplificadas.

Mistura de lubrificantes

Não é recomendado realizar uma mistura de lubrificantes, a consequência disso é o comprometimento da saúde dos componentes e peças, ou seja, não deve complementar e sim realizar uma troca.

Caso seja feita uma mistura de lubrificantes, os aditivos dos produtos não se complementam, ao contrário, quando misturado um benefício anula o do outro.

Além da mistura dos tipos de lubrificantes, não deve misturar as marcas dos componentes, mesmo que possuam as mesmas características.

Cada fabricante de óleo utiliza aditivos próprios, ou seja, mesmo que possuam as mesmas propriedades, podem ser diferentes.

Caso não encontre o óleo da mesma marca, é recomendado a troca, para isso, deve trocar o filtro com o novo óleo sem deixar nenhum requisito da substância anterior.

A má lubrificação pode acarretar na corrosão no motor, formação de borra, perda de eficiência e o aumento do consumo da empilhadeira.

Graxas para lubrificação nas empilhadeiras

As graxas para lubrificação de empilhadeiras devem ser utilizadas no estado pastoso, pois quando está líquido não possui o mesmo efeito para engraxar uma peça, como por exemplo, a lubrificação em uma corrente.

Para escolher uma boa graxa, alguns componentes devem ser considerados, como a consistência, temperatura e propriedades anticorrosivas.


  • À base de cálcio (normalmente usada em temperaturas de até 60ºC);

  • De sódio (pode ser utilizada em temperaturas entre -30ºC e 80ºC);

  • À base de lítio: (adequada para temperaturas entre -30ºC e 110ºC).

A troca de óleo é variado de acordo com a empilhadeira, possuindo características próprias, não dispondo de um cronograma de horas específicas, por exemplo, algumas máquinas devem ter a troca a cada 500 horas, enquanto outras a cada 250.

Por este motivo é muito importante verificar no manual da empilhadeira. Deve se atentar que a lubrificação não deve ser realizado somente no motor, mas em outras peças também.

Veja a seguir alguns elementos que também devem ser lubrificados:

  • Lubrificação da coroa e do pinhão;

  • Cilindros e mancais;

  • Eixo;

  • Transmissão;

  • Todos os engates e articulações;

  • Porta garfos;

  • Mancais;

  • Correntes de elevação;

  • Rolamento das rodas;

  • Eixo direcional, pino rei e terminais;

Quando devo planejar a lubrificação na empilhadeira?

Para realizar uma manutenção preventiva é muito importante seguir um plano, este cronograma deve ser planejado em conjunto com a equipe ou com uma empresa especializada. A Baloc realiza a manutenção preventiva nas máquinas.

Com a lubrificação e a manutenção preventiva em dia, o desempenho e as peças da empilhadeira possuem uma vida útil mais prolongada.

Manutenção preventiva nas empilhadeiras elétricas

Já nos caso das empilhadeiras elétricas, deve se atentar nos cuidados com a batéria e a água, não pode deixar acima de 35º C. Como consequência do aquecimento, o sulfato de chumbo perde as propriedades e o componentes são transferidos para o fundo da batéria.

Também deve ter cuidado com os pisos irregulares, quando é realizado manobras mais brutas, a massa despenca das placas e ficam alojadas no fundo da bateria. Com as devidas precauções a empilhadeira tem maior durabilidade.


Cuidados com a empilhadeira

Além da manutenção preventiva, é necessário ter alguns cuidados com a empilhadeira elétrica, para não comprometer a durabilidade da bateria, sendo eles:

  • Água (não pode deixar que falte água);

  • Temperatura (deixar a temperatura muito aquecida, acima de 35º C, o sulfato passa a perder as suas propriedades, e o componente vai decantando para o fundo da bateria);

  • Piso (as manobras mais brutas em pisos irregulares, faz com que a massa desprenda das placas).

A Baloc realizada manutenção preventiva nas empilhadeiras, disponibilizado para o locatário uma ficha com toda as manutenções já realizadas, garantindo maior conforto para o empreendedor.

Com a locação também garantimos a assistência técnica. Gostou? Entre em contato pelo telefone: (19) 3227-5681 ou através do e-mail: contato@baloc.com.br.


Comments


bottom of page